Os avanços da biotecnologia na indústria, na medicina e na agricultura

V Semana de Biotecnologia procura por meio de palestras e minicursos apresentar as potencialidades da biotecnologia no Brasil

V Semana Biotecnologia 001

Pauta: Ana Carolina Contato
Reportagem: Karina Constâncio
Edição: Kauana Neves

O Departamento de Bioquímica e Biotecnologia e o Mestrado em Biotecnologia da Universidade Estadual de Londrina (UEL) promoveram, de 3 a 5 de junho, no Anfiteatro do Centro de Estudos Sociais Aplicados (CESA), a V Semana de Biotecnologia. Por meio de palestras, minicursos e apresentações de trabalhos, a Semana promoveu uma discussão sobre temas atuais da biotecnologia na agricultura, indústria, biocombustiveis, medicina e farmácia. O evento foi destinado a estudantes de graduação e pós-graduação, das áreas de biologia, farmácia, medicina veterinária, química, agronomia, biomedicina e odontologia ” tanto da Universidade Estadual de Londrina como de outras instituições da região “, professores do curso superior e do Ensino Médio, pesquisadores, profissionais e empresários das áreas relacionadas acima.

Dentro da programação da Semana, foram trabalhados temas referentes principalmente a biocombustiveis, organismos geneticamente modificados, seleção de microorganismos para a produção de vinhos e a biotecnologia dentro da indústria de cosméticos. Podem ser destacadas as palestras “Brasil ” uma potência energética” dada pelo Professor Mestre Décio Luiz Gazzoni, da Subsecretaria de Desenvolvimento Sustentável da Secretaria de Assuntos Energéticos de Brasília e “Organismos geneticamente modificados e a Lei de Biossegurança teoria e prática” conduzida pelo Professor Doutor Rubens Onofre Nodari, graduado em Agronomia pela Universidade de Passo Fundo, mestrado em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutorado pela University Of California At Davis, atualmente ele é professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Foram disponibilizados para os participantes dois minicursos, realizados nos dias 3 e 4, no período vespertino. O minicurso sobre “Tratamento de efluentes e resíduos industriais” foi ministrado pela Professora Doutora Miriam Ribeiro Alves, do Departamento de Química da UEL, e o minicurso, que teve como assunto a “Purificação de produtos biotecnológicos”, foi dirigido pela Professora Doutora Valeria Marta Gomes de Lima, do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade Estadual Paulista (Unesp) ” Campus Assis. Segundo a Professora Doutora Valéria Lima, graduada em Farmácia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), mestrada e doutorada em Bioquímica, também pela UFPR, os interesses da indústria química estão mudando de foco e se voltando para produtos biológicos, renováveis, que dependem, portanto, de novas *técnicas de separação que não deixem de lado a economia e a segurança.

A Coordenadora do evento, Professora Suzana Mali de Oliveira, graduada em Farmácia e Bioquímica, com mestrado e doutorado em Ciência de Alimentos pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), atua, há três anos, como docente nas disciplinas de bioquímica e biotecnologia na mesma instituição. Conforme Suzana Mali de Oliveira, a biotecnologia não é uma área nova ” a fermentação de vinho, de cerveja e de pão já é feita há séculos ” e tem seus processos desenvolvidos e melhorados com o tempo. “Atualmente, a discussão em volta de assuntos relacionados aos biocombustíveis, legislação e utilização de células tronco e de organismos geneticamente modificados vem contribuindo para o avanço significativo dessa área” completou a professora.

De acordo com a Professora Suzana Mali de Oliveira, são muitos os benefícios que a biotecnologia pode trazer para a sociedade, principalmente, voltados para a área da saúde e de questões relacionadas ao meio ambiente. “Toda essa discussão, quando bem feita e quando programada, tende a contribuir para uma sociedade com mais possibilidade de um tratamento de saúde, envolvendo, por exemplo, terapias gênicas e células tronco e para um ambiente mais limpo”.
A V Semana de Biotecnologia contou com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq), da Fundação Araucária, da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e do Governo do Paraná.

* No minicurso, foi falado basicamente sobre separações usando dois líquidos imiscíveis ” quando na sua mistura existem compostos com diferença de solubilidade, ou seja, um é solúvel em água e outro em um solvente orgânico e esses compostos se separarão entre as duas fases conforme sua maior afinidade ” envolvendo moléculas biológicas, como enzimas, anticorpos, células inteiras e DNA, e também extrações líquido-líquido por afinidade, sistemas bifásicos ou trifásicos e micelas reversas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: