Publicação analisa principais temas da área da saúde

EDUEL lança obra que discute e avalia 36 casos clínicos reais do Hospital Universitário


Edição: Fernanda Cavassana
Pauta: Laura Almeida
Reportagem: Isabella Sanches

Foi lançado no saguão do Teatro Ouro Verde, no dia 27 de abril às 19h, a segunda edição do livro “Abordagem Interdisciplinar em Análises Clínicas”. A obra que contempla temas centrais da área da saúde é uma publicação da editora EDUEL organizada pelos professores Edna Maria Vissoci Reiche, Leda Mezzaroba (1), José Wander Breganó (2), Marsileni Pelisson (3) e pelo chefe da Divisão de Laboratório e Análises Clínicas do HU, Egídio Tesser. O Conexão Ciência conversou, sobre a publicação e a metodologia da cobra, com a doutora Edna Reiche, que possui graduação em Farmacia, mestrado em Microbiologia e doutorado em Medicina e Ciências da Saúde, todas pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Confira a entrevista abaixo:

Conexão Ciência: Como surgiu a iniciativa para essa publicação?
Profa. Dra. Edna Reiche:
A iniciativa surgiu com um projeto de pesquisa desenvolvido de 2000 a 2006, que eu coordenei com o objetivo de publicar um livro didático. Em 2006 nós publicamos a primeira edição pela EDUEL. Ele foi muito bem aceito e em pouco mais de um ano a edição foi esgotada, o que levou a própria editora a propor que fizéssemos uma nova edição. Então, eu continuo organizadora dessa segunda edição junto com mais quatro professores: Leda Mazzaroba, José Wander Breganó, Marsilene Pelisson e Egídio Tesser. Além de nós cinco como organizadores, participam do livro 21 docentes, professores do departamento de Patologia, Análises Clínicas e Toxicológicas, contando também com a participação de alunos de sete turmas diferentes do quinto ano do curso de Farmácia, que são convidados a participar do livro colaborando com textos e casos clínicos.

Conexão Ciência: Como foi organizada a estrutura da publicação?
Profa. Dra. Edna Reiche:
O livro é na verdade uma coletânea de 36 casos clínicos reais de pacientes do Hospital Universitário (HU), na qual nós discutimos todo o caso clínico, laboratoriais e
epidemiológicos da doença, ou seja, no livro os autores associam as alterações laboratoriais observadas nos pacientes com as características epidemiológicas da doença, como a prevalência
da doença na região, no Brasil com a enfermidade do paciente. Então, abordamos de forma interdisciplinar a fisiopatologia, ou seja, o estudo do mecanismo de lesão, das doenças que nós
trabalhamos no Hospital Universitário. Doenças infecciosas, bacterianas, parasitárias e metabólicas. Assim, nós adotamos uma estratégia de ensino, mostrando casos reais em que se
omite a identidade do paciente. E esses casos são, então, discutidos pelos estudantes e docentes, elaborando um texto em que há toda a discussão clínica e laboratorial do tratamento estabelecido,
com avaliações e análises. Com isso, tanto os alunos, como os professores, abordaram de uma maneira global temas centrais do currículo dos cursos de Farmácia e Medicina.

Conexão Ciência: Como foram selecionados os casos clínicos publicados?
Profa. Dra. Edna Reiche:
Os casos clínicos foram selecionados a partir de sua característica interdisciplinar, ou seja, são doenças que têm uma relação clínico-laboratorial muito rica, que
envolvem todos os setores e conteúdos do curso de Farmácia e Medicina. Às vezes um caso clínico é muito restrito e pobre de discussão. Dessa forma nós selecionamos aqueles casos de maior
amplitude, que gerariam uma maior discussão interdisciplinar e até multi-profissional.

Conexão Ciência: De que forma foram agrupados esses materiais?
Profa. Dra. Edna Reiche:
Foram agrupados em cinco capítulos diferentes. Um capítulo com casos clínicos de doenças infecciosas e parasitárias, outro com distúrbios imunológicos, um
aborda intoxicações, outro distúrbios hematológicos e por fim um capítulo sobre distúrbios metabólicos.

Conexão Ciência: Quais desses temas foi o mais abordado?
Profa. Dra. Edna Reiche:
As doenças infecciosas e parasitárias foram as mais abordadas, por serem um dos principais problemas de saúde pública que ainda temos no Brasil.

Conexão Ciência: Qual o propósito da publicação desse livro?
Profa. Dra. Edna Reiche:
O material foi publicado porque até então nós tínhamos uma dificuldade em adotar um livro como referência, que trabalhasse todos os temas que estudamos. É
fácil você encontrar um livro de bioquímica, de patologia, de metodologia, ou seja, com conteúdos fragmentados. Esse nosso livro possui uma abordagem global da fisiopatologia, que é o que
acontece na realidade, pois as divisões presentes nos outros livros são meramente um método didático. O nosso propósito foi, assim, criar um material didático que fosse feito de uma maneira
interdisciplinar as doenças estudadas.

Conexão Ciência: No que consiste a primeira edição do livro publicado? Qual é a sua diferença
para essa nova edição?
Profa. Dra. Edna Reiche:
A primeira edição é constituída de 30 casos clínicos, na segunda edição nós temos esses 30 casos revisados e atualizados. Foram também acrescentados seis
novos casos ao livro. Temos uma segunda publicação atualizada, revisada e ampliada.

Conexão Ciência: A quem a publicação é destinada?
Profa. Dra. Edna Reiche:
É destinada aos alunos de graduação, ao pessoal da saúde de modo geral e em especial, aos cursos de Farmácia e Medicina. Além dos profissionais
farmacêuticos e bioquímicos da área de análises clínicas.

Conexão Ciência: Que tipo de contribuição o livro pretende trazer à área da saúde?
Profa. Dra. Edna Reiche:
O livro busca contribuir como uma visão interdisciplinar e integradora ao leitor. Assim espera-se que ele tenha um melhor aprendizado, do processo fisiopatológico das
principais doenças que afetam a nossa população.

Legenda da Foto: Professoras Edna Reiche e Leda Mazzaroba no lançamento do livro

(1) Leda Mezzaroba ” Possui graduação em Farmácia Habilitação Bioquímica e Mestrado em
Educação pela Universidade Estadual de Londrina. Professora Assistente no Departamento de
Patologia, Análises Clínicas e Toxicológicas do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da UEL.

(2) José Wander Breganó ” Possui graduação em Farmácia, mestrado em Microbiologia, e
doutorado em Medicina e Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Londrina. Atualmente é
professor assistente da Universidade Estadual de Londrina e chefe do setor de hematologia do
Laboratório Clínico do Hospital Universitário de Londrina.

(3) Marsileni Pelisson ” Possui graduação em Farmácia e Bioquímica e mestrado em
Microbiologia pela Universidade Estadual de Londrina. Atualmente é Farmacêutica/Bioquímica do
Instituto de Saúde do Estado do Paraná e Professor Assistente da Universidade Estadual de
Londrina em Microbiologia Clínica.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: