Perspectivas de um assentamento rural do norte do Paraná

Projeto busca apontar as principais dificuldades e necessidades dos assentamentos rurais

Edição: Fernanda Cavassana
Pauta: Edson Vitoretti
Reportagem: Guilherme Vanzela

O projeto “Diagnóstico técnico-econômico e sócio-ambiental de um assentamento rural do norte do Paraná”, que busca estudar a viabilidade técnico-econômica e sócio-ambiental de um assentamento rural, é coordenado pela doutora Cristiane de Conti Medina, engenheira agrônoma graduada na Universidade Estadual de Londrina (UEL), mestre em energia na agricultura e doutora em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Ela orienta, no projeto, o estudante Thiago Luiz Ragugnetti Furlaneto, formado em agronomia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), em seu trabalho de mestrado.

A pesquisa é realizada no assentamento Santa Maria, que fica em Paranacity, cidade da região norte do estado do Paraná. Lá vivem cerca de 70 pessoas que formam a Cooperativa de Produção Agropecuária Vitória Ltda (Copavi). “Eles (assentados) organizam as moradias em uma “agrovila”,  de modo que todas as famílias vivam próximas, facilitando as trocas de informações e as resoluções de problemas internos. As refeições são feitas em um refeitório comunitário e pela posição estratégica do assentamento, que fica a 200 metros da cidade, há facilidade para as crianças estudarem e para o escoamento da produção”, complementa o Thiago Furlanetto.

A questão técnico-ecônomica da pesquisa, aborda as técnicas de produção utilizadas nos assentamentos e os meios econômicos que permitem o desenvolvimento do grupo. Segundo o estudante Thiago Furlaneto, a principal dificuldade no aspecto técnico-econômico, concentra-se na falta de mão-de-obra disponível para realizar os trabalhos no assentamento. “Em função de eles serem apenas 23 famílias, eles possuem uma grande quantidade de tarefas para realizar, principalmente na cadeia produtiva da cana-de-açucar. Isto faz com que falte mão-de-obra para outras atividades, principalmente na produção de alimentos para o autoconsumo”, complementa Thiago Furlanetto.

Pela falta de mão-de-obra, conciliar os trabalhos que visam o retorno monetário e o autoconsumo se torna a principal dificuldade dos assentados. “Em função da opção que foi feita na cooperativa pelo mercado, optou-se pela venda, principalmente, do açúcar mascavo e da cachaça, com isso a produção para a própria demanda não é atendida”, pontua a doutora Medina. “Do mesmo modo que se precisa de mão-de-obra para a cana também é necessária para a horta”, exemplifica a professora Dra Cristiane Medina.

No processo sócio-ambiental, são revelados contrastes entre o modo como os pequenos agricultores, dos assentamentos, e os latifundiários lidam com a natureza, de acordo com a pesquisa. “Normalmente, o grande produtor pensa, exclusivamente, na produtividade e no lucro, e, muitas vezes, ele é um médico, um advogado, ou tem qualquer outra profissão que não possui nenhum contato com a terra. Já o pequeno agricultor, pensa na produção como o único meio para sustentar sua família”, coloca a Dra Cristiane Medina. “As famílias no assentamento, de um modo geral, vêem, a natureza como uma condição essencial a sobrevivência, ao contrário de grande parte dos latifundiários”, complementa Thiago Furlanetto.

Segundo Thiago Furlanetto, as principais dificuldades em um assentamento estão na falta de apoio por parte do governo. “O que falta, geralmente, é uma assistência técnica, para que os assentados consigam direcionar corretamente seus recursos e seus créditos”, relata Thiago Furlenetto. “Se o agricultor assentado tiver o mesmo apoio institucional dado aos grandes agricultores, a probabilidade de ele conseguir se estabelecer e se desenvolver é enorme”, complementa a professora Dra Cristiane Medina, que conclui acreditando: “A reforma agrária, se bem planejada, ao contrário do que muita gente diz, dá certo”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: