Projeto de enfermagem resgata memórias de idosos

Livro sobre envelhecimento é produzido por estudantes de escola

 

Professora Sandra Perdigão atua no projeto “Atenção Integral e Interdisciplinar a Idosos na Comunidade” há sete anos

Pauta e Edição: Tatiane Hirata

Reportagem: Renan Cunha

  

Manter-se jovem é um padrão para a sociedade atual. O Brasil, por exemplo, é campeão de cirurgias plásticas. De 2007 a 2008, de acordo com publicação do site da Editora Abril* , foram feitas no país 1,2 mil cirurgias plásticas por dia. Essa mentalidade acaba por tornar a velhice algo antiquado e a pessoa idosa perde seu valor. Pensando nisso, a fim de sensibilizar os jovens a respeito do valor das pessoas idosas e de seu papel para com os demais, professores de vários departamentos da Universidade Estadual de Londrina (UEL), sob coordenação da professora Mara Solange Gomes Dellaroza* , elaboraram o projeto de extensão “Atenção Integral e Interdisciplinar a Idosos na Comunidade” pertencente ao Departamento de Enfermagem da UEL. As atividades do projeto, realizadas no Colégio Padre Wistremundo Roberto Peres Garcia (Zona Norte de Londrina), resultaram na criação de um livro chamado “Histórias de Vida: integrando jovens e idosos”, que é um acervo de histórias colhidas pelos estudantes do colégio ao entrevistarem idosos da comunidade. Quem concedeu entrevista ao Conexão Ciência foi uma das colaboradoras do projeto, a professora Sandra Perdigão Domiciniano – formada em Serviço Social pela UEL, especialista Gerontologia pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia e mestre na área pela Pontifícia Universidade Católica (PUC). 

  

Conexão Ciência: Como surgiu a ideia do livro?

Professora Sandra Perdigão: Nós sentimos a necessidade de ampliar o projeto “Atenção Integral e Interdisciplinar a Idosos na Comunidade”, que é desenvolvido na região dos Cinco Conjuntos de Londrina, para as escolas, a fim de divulgar as questões do envelhecimento nesse meio. A partir disso, a nossa coordenadora, a professora Mara Solange Dellaroza, articulou uma proposta de atuação na escola. Com a autorização, elaboramos um plano de intervenção junto a professores e alunos de sexta série no sentido de desenvolver atividades mostrando-lhes algumas questões relativas ao envelhecimento. Neste contexto, um dos professores da escola propôs que os alunos tivessem uma maior aproximação dos idosos para que conhecessem suas histórias. Então, os alunos elaboraram um roteiro e entrevistaram vários senhores e senhoras que conheciam. Das histórias, criaram várias ilustrações. Com esse material produzido, nós achamos oportuno disseminá-lo de uma maneira simples e objetiva para os adolescentes. Assim, nasceu a ideia do livro.

  

Conexão Ciência: De que forma o livro foi elaborado?

Professora Sandra Perdigão: A elaboração do livro se deu a partir das histórias que os alunos coletaram. Nós percebemos que o material era rico em informações e possível de ser trabalhado. Todas as histórias que os estudantes trouxeram foram usadas na obra. O programa de intervenção, entre atividades e criação do livro, durou cerca de dois anos.

 

Conexão Ciência: Qual a importância desse trabalho para a juventude?

Professora Sandra Perdigão: É um trabalho muito importante, pois com ele os jovens aprendem a valorizar a velhice e se preparam para isso de maneira que tenham uma condição de vida melhor e entendam quais são as transformações que sofremos durante esse período. Penso que esse tema do envelhecimento deveria ser inserido nos estudos desde o começo. Desse modo, as crianças aprenderiam sobre o papel social do idoso na sociedade e que eles devem ser respeitados e valorizados.

 

Conexão Ciência: O que leva o jovem a não ter interesse pelo diálogo com idosos?

Professora Sandra Perdigão: Eu acredito que a condição social. Devido a modos de vidas diferentes, essa aproximação é prejudicada. O idoso tem uma necessidade de comunicação. Ao se aposentarem, eles acabam se desligando do cotidiano e, por isso, quando encontram alguém, querem compartilhar suas histórias. No futuro também gostaremos de compartilhar o que fizemos em nossa vida, com nossos filhos e outras pessoas e por isso temos que valorizar o diálogo com os mais velhos. 

 

Conexão Ciência: Quais os resultados já alcançados com o projeto?

Professora Sandra Perdigão: Houve uma grande valorização do trabalho realizado. Os jovens passaram a respeitar mais os idosos; passaram a dar mais atenção; serem mais gentis. Os idosos também gostaram, principalmente porque puderam se comunicar e resgatar suas experiências de vida.

 

Conexão Ciência: Como está sendo feita a distribuição do livro? Pretendem lançar outra obra?

Professora Sandra Perdigão: O livro foi elaborado como material didático para as escolas. Por isso os distribuímos nas bibliotecas de escolas municipais e estaduais. A função dele é disseminar esse conhecimento e aproximar o jovem do assunto. Se tivermos a oportunidade, gostaríamos de lançar outro, sim.

*A professora Mara Solange Gomes Dellaroza é formada pela UEL em Enfermagem e Obstetrícia. Especialista em Saúde Pública e em Ensino, pesquisa e Assistência de Enfermagem e Mestre pela Universidade de São Paulo (USP) com o tema Dor no Idoso.

*http://www.abril.com.br/noticias/brasil/brasil-registra-1-2-mil-cirurgias-plasticas-ao-dia-268017.shtml

crédito da foto: Renan da Silva Cunha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: