Acesso à casa própria é tema de projeto

Estudo do departamento de Serviço Social pretende conhecer o impacto na vida das famílias que conseguem realizar esse sonho

Edição: Beto Carlomagno
Pauta: Beatriz Pozzobon
Reportagem: Karina Constâncio

Estudo analisa o acesso à casa própria como possibilidade de melhoria na condição de vida da população de baixa renda

“Historicamente, o Estado sempre forneceu programas direcionados à população de média e alta renda, o que dificultou o acesso à moradia. Hoje, existe um déficit habitacional imenso. Só em Londrina, o número está em torno de 6 mil unidades”. É o que afirma a professora Eliane Christine de Campos, coordenadora do projeto “Acesso à casa própria: a possibilidade de melhoria na qualidade de vida para a população de baixa renda na cidade de Londrina/PR”. Eliane possui graduação em Serviço Social e mestrado em Serviço Social e Política Social pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Em entrevista ao Conexão Ciência, ela esclareceu alguns pontos da pesquisa.

Conexão Ciencia: Como surgiu a ideia do projeto?

Prof. Eliane Christine de Campos: Nós somos em cinco assistentes sociais que prestam serviços para a Caixa Econômica Federal na área da habitação auxiliando no trabalho com as famílias que participam dos programas de interesse social. A partir da nossa participação nesses projetos, começamos a perceber a importância do acesso à casa própria para a população de baixa renda que não tem condições de fazer um financiamento e isso nos despertou o interesse para iniciar a pesquisa.

Conexão Ciencia: Qual o objetivo do projeto?

Prof. Eliane Christine de Campos: O principal objetivo é analisar o impacto na vida da população de baixa renda que consegue ter o acesso à moradia própria e verificar se esse acesso realmente está sendo garantido na perspectiva de direito.

Conexão Ciencia: Como é feita essa análise?

Prof. Eliane Christine de Campos: A princípio, a análise seria feita a partir de dois programas: o Programa de Arrendamento Residencial (PAR) e o Programa Casa Fácil, mas vamos estender também para o Programa Minha Casa, Minha Vida, que está construindo em Londrina duas mil unidades em uma determinada área concentrada. Iremos analisar como é esse acesso à casa própria e quais as implicações trazidas para a vida da população atendida.

Conexão Ciencia: Como funcionam esses três programas?

Prof. Eliane Christine de Campos: O PAR já existe há 10 anos e propicia moradia por meio da construção de conjuntos habitacionais verticais e horizontais para a população com renda de até seis salários mínimos. O Programa Minha Casa, Minha Vida é mais recente e também viabiliza a casa própria priorizando as pessoas que vivem com até três salários mínimos. Já o Programa Casa Fácil, parceria da UEL com a Prefeitura de Londrina, que regularizava ou fornecia gratuitamente a documentação e projetos necessários para construção da moradia de famílias com até três salários mínimos, foi suspenso ano passado devido à aposentadoria de alguns professores.

Conexão Ciência: O que já pode ser observado?

Prof. Eliane Christine de Campos: O projeto ainda é recente, mas já podemos verificar que é significativa a regularização das plantas. Muitas famílias fazem “puxadinhos” sem uma avaliação técnica, colocando-se em situação de risco. Nós percebemos que elas fazem isso por não terem condições financeiras de pagar uma planta. Acabam comprando um terreno com muita dificuldade e construindo aquilo que é viável naquele momento. Por isso a importância de um programa como o Casa Fácil. Outra coisa que observamos é que esses programas implementados em Londrina, que têm exigências mais flexíveis do que a Caixa Economia Federal, podem contribuir para a garantia dos direitos mínimos da população.

Conexão Ciência: Qual a importância de se investir na área habitacional?

Prof. Eliane Christine de Campos: É fundamental. O acesso à casa ajuda na questão da saúde, principalmente a saúde mental, também aumenta a autonomia das famílias dando a oportunidade de ter um espaço verdadeiramente delas e contribui para a cidadania de seus membros. Temos que entender que o acesso à moradia aumenta a qualidade de vida das pessoas.

Conexão Ciência: Os resultados serão publicados?

Prof. Eliane Christine de Campos: O projeto tem como proposta, além da publicação de artigos, que os alunos que participam (ao todo são 20 alunos de graduação e pós-graduação em Serviço Social) divulguem as conclusões em eventos da área e que também ocorra uma discussão junto com os londrinenses para que seja entendida a importância de criar programas habitacionais voltados para a população de baixa renda.

Créditos da imagem: http://automidia.wordpress.com/page/2/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: