Pesquisa do departamento de Zootecnia enfatiza o bem-estar do gado de leite

Método canadense de produção é ponto de partida para pesquisa que busca avanços na pecuária de leite brasileira

Edição e pauta: Paola Moraes
Reportagem: Bruna Madeira 

Intitulado “O comportamento alimentar de novilhas da raça holandesa”, o projeto de pesquisa do Departamento de Zootecnia da Universidade Estadual de Londrina (UEL); coordenado pelo professor doutor José Antônio Fregonesi, graduado em Zootecnia pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), mestre na Universidade de São Paulo (USP) e doutorado pela Universidade de Londres, busca –  juntamente com os alunos da pós-graduação – maior produtividade e rentabilidade na pecuária através de estudos que analisam os hábitos comportamentais de bovinos. O professor doutor, que leciona na Universidade há mais de vinte anos, explica ao Conexão Ciência os pontos primordiais da pesquisa que deverá ter artigos publicados na revista brasileira de ciências agrárias Jornal Science após seu encerramento em 2012.
Conexão Ciência: Quais os animais analisados na pesquisa e como é feita essa seleção?
Prof. Dr. José Antônio Fregonesi: Trabalhamos com bovinos leiteiros. Primeiro, estabelecemos uma faixa etária em torno de três, quatro meses. Chamamos isso na pesquisa de “controle”, que é a seleção a partir da idade. Depois esses animais são resignados nos experimentos aleatoriamente para que a pesquisa não fique tendenciosa.

Conexão Ciência: Qual o objetivo principal da pesquisa e quais os resultados esperados?
Prof. Dr. José Antônio Fregonesi: O objetivo é analisar o comportamento  exploratório desses animais, ver a expectativa deles ao receber determinado alimento, além de avaliar o seu consumo e analisar como isso exerce influências na produção final. Procuramos melhoras tanto na parte de rentabilidade como nos preocupamos em melhorar o bem-estar animal em confinamento. Esse estudo difere da ciência animal tradicional: ela não enfoca tanto a produtividade, mas busca, principalmente, melhorar a qualidade de vida dos animais para que eles produzam mais.
Conexão Ciência: O estudo é realizado somente no Brasil ou também em outras partes do mundo?
Prof. Dr. José Antônio Fregonesi:
Temos convênio desde 2001 com a Universidade da Columbia Britânica que fica em Vancouver. Esse estudo é feito no Canadá, porque eles possuem melhores condições estruturais. Mas, ele é válido também para o  Brasil, porque o objetivo principal é justamente melhorar o sistema de produção em confinamento, que ainda é pouco rentável em relação aos outros países.
Conexão Ciência: Há na universidade alguma empresa interessada em financiar o projeto ou que busca resultados?
Prof. Dr. José Antônio Fregonesi:
Nesse projeto aqui no Brasil não, mas no Canadá sim. Lá o financiamento é feito pela união dos produtores de leite. Aqui, infelizmente, a indústria do leite não possui a mesma mentalidade de apoiar pesquisas, eles já querem algo pronto.
Conexão Ciência: Existe muita diferença entre a produção brasileira de leite e a canadense?
Prof. Dr. José Antônio Fregonesi:
Sim, existe. A produção deles é muito mais alta, mas no Brasil temos algumas áreas similares como a região de Castro que adota muito o sistema canadense de produção- o free stall* – mas que representa apenas 10% da produção, já que o país possui maior vocação ao pasto livre, devido aos custos de investimento. A  média de cada animal no Canadá é de quarenta litros por dia, enquanto a nossa é de oito litros somente, isso tem grande representação  e demonstra como o sistema, a alimentação e o potencial genético do animal influenciam diretamente na produção final.
Conexão Ciência: Existem diferenças de comportamento ou adaptação entre uma raça e outra?
Prof. Dr. José Antônio Fregonesi:
Em termos de comportamento em geral, não. Só exploratório. Uma vaca Zebu e Holandesa não possuem muitas diferenças, mas em relação a adaptação sim. Foi escolhida a raça holandesa, porque nessa região, onde estão sendo feitos os experimentos, a raça Zebu não sobreviveria ao rigoroso clima, além de que a novilha holandesa – originada entre a Holanda e a Alemanha e presente hoje no mundo todo – é a raça mais representativa e produtiva de leite.
Conexão Ciência: A época do ano influencia na produção?
Prof. Dr. José Antônio Fregonesi:
Sim, lá a produção aumenta no inverno, porque os produtores estocam alimento e os animais acabam consumindo mais, consequentemente, a produção também é maior. Já no Brasil, no sistema pasto, a queda costuma ser bem grande no inverno devido à diminuição das pastagens  nessa época do ano.


* No sistema free stall os animais permanecem lado a lado, em baias individuais que devem ser bem dimensionadas, com largura suficiente para o conforto do animal, sem, entretanto, permitir que o mesmo vire-se. O comprimento deve ser o mínimo, para que a novilha, ao deitar-se, permaneça com o úbere e as pernas alojadas internamente ao cubículo, enquanto as dejeções são lançadas no corredor de limpeza. As dimensões das baias variam de acordo com o peso e a categoria do animal.
Fonte: http://www.infobibos.com/artigos/zootecnia/constleite/index.htm

Foto: Bruna Madeira

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: