Biblioteca Central promove exposição para marcar o Dia da Fotografia

Exposição comemora o Dia Mundial da Fotografia com obras do fotógrafo José Juliani   

Comissão organizadora da exposição. Respectivamente: Maria Aparecida Letrari, Claudete Spuzeti, Izabel Aguiar, Enidelci Zaquia e Olga Nishimura.

Edição: Beatriz Pozzobon
Pauta: Cláudia Yukari Hirafuji
Reportagem: Rafael Gratieri 
A exposição “José Juliani: o colono fotógrafo” teve início no dia 15 de agosto, na Biblioteca Central da Universidade Estadual de Londrina (UEL). A exposição é uma comemoração ao Dia Mundial da Fotografia, celebrado em 19 de agosto. A mostra é composta por quadros com reproduções de algumas das principais fotografias de José Juliani* e pode ser visitada até o dia 26 deste mês.

Izabel Aguiar, uma das organizadoras da exposição na biblioteca, explica porque escolheu José Juliani para representar o Dia Mundial da Fotografia. “Ele percebeu a importância de registrar o começo de uma cidade. Captou os momentos mais importantes da história: do início, do desbravamento e da construção da cidade de Londrina”, observa Izabel Aguiar.

No local podem ser encontrados quadros com fotografias de José Juliani como empregado da Companhia de Terras Norte do Paraná, registrando cenas do empreendimento colonizador. Também podem ser vistas fotografias de estúdio, onde o fotógrafo retratou a entidade familiar, por exemplo. Izabel  Aguiar comenta sobre essa pluralidade. “José Juliani foi um autodidata. Leu, estudou e descobriu como era ser fotógrafo. Foi um sonhador”.

Os quadros com fotografias de José Juliani já estiveram expostos em outros locais, como no Museu Histórico de Londrina Padre Carlos Weiss. Agora estão inseridos na Biblioteca Central da UEL, por ser uma exposição itinerante. “Ela é fácil de levar, por isso pode ir para escolas, museus e faculdades”, explica Izabel Aguiar.

Além disso, a comissão organizadora da exposição tem por objetivo divulgar ainda mais o trabalho de José Juliani. “Qualquer pessoa pode vir à mostra. Estamos fazendo uma ampla divulgação, e até quem é de fora pode vir. Quem não teve a oportunidade de ir até o museu, pode vir até aqui, na biblioteca”, convida a organizadora.

A Biblioteca Central aproveita a ocasião para mostrar livros sobre o fotógrafo. É o caso do livro “Juliani: um homem, sua máquina e a história de Londrina”, escrito por sua filha Maria Juliani e inserido na exposição em conjunto com os quadros. “A gente procura, além de expor quadros, expor livros que falem sobre o assunto. Assim divulgamos nosso acervo também”, encerra Izabel Aguiar.

* José Juliani:  Fotógrafo que retratou a história da cidade de Londrina, nasceu em Piracicaba, no interior de São Paulo, mas estabeleceu-se em Londrina em 1933. Foi contratado pela Companhia de Terras Norte do Paraná parra registrar o empreendimento colonizador. Como fotógrafo de estúdio, perseguiu a composição perfeita para enquadrar a infância, a família, a beleza da moça, os noivos. Como fotógrafo contratado, registrou o crescimento da vida urbana e de suas instituições. Como fotógrafo de rua congelou as feições dos transeuntes que assim o desejavam, numa época onde as câmeras fotográficas eram extremamente raras. Suas imagens são de indiscutível valor histórico.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: