Congresso de Fisioterapia da UEL comemora os 40 anos de regulamentação do curso no Brasil

outubro 11, 2009

O evento reuniu profissionais e estudantes da área para discutir a trajetória do curso e suas perspectivas

Cogresso 40 anos de fisioterapia no Brasil

Pauta: Daniela Brisola
Repórter: Camila Venceslau
Edição: Beatriz Assumpção e Fernanda Cavassana

No ano em que o curso de Fisioterapia completa 40 anos de regulamentação no Brasil, o Departamento de Fisioterapia da Universidade Estadual de Londrina (UEL) promoveu de 24 a 26 de setembro o “III Encontro de ex-alunos do curso de Fisioterapia: 30 anos de formação acadêmica”.

O Congresso que abordou o ensino, a pesquisa e a extensão, proporcionou a troca de experiências entre profissionais da área e estudantes de graduação por meio de palestras, mesas redondas e mini-cursos.

Para discutir pesquisa e pós-graduação Scrito Sensu (curso de mestrado e doutorado) em seu momento atual e suas perspectivas, o evento contou com a participação do professor Doutor em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) Dirceu Costa. Também compuseram a mesa os professores Fábio de Oliveira Pitta, Doutor em Ciências da Reabilitação e Fisioterapia pela Katholieke Universiteit Leuven da Bélgica, e Jefferson Rosa Cardoso, Doutor em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Segundo o professor Dr. Fábio Pitta, a UEL é considerada um “berço de futuros pesquisadores” no campo da Fisioterapia, apesar de não contar com cursos de mestrado e doutorado nesta área; mas comenta que este objetivo está próximo de ser realizado: “A implantação de um curso de mestrado na UEL deve acontecer em breve, já que a Instituição aguarda uma parceria com a Universidade do Norte do Paraná (Unopar)”, diz Pitta.

Para o professor Dr. Jefferson Cardoso, o fisioterapeuta precisa estar constantemente atualizado e “ser o melhor profissional para seus pacientes”. “O profissional precisa buscar respostas para suas dúvidas, pesquisar e verificar se o que encontrou pode ser considerado confiável para tratar seu paciente da melhor maneira possível. Após todos estes procedimentos, o clínico deve aplicar a teoria em consultório”, explica.

A atualização dos Fisioterapeutas e estudantes de Fisioterapia pode ser feita gratuitamente em bancos de dados encontrados na internet. O docente recomenda o Cochrane Collaboration (http://www.cochrane.org/), que basicamente fornece informações sobre os cuidados com a saúde e permite que profissionais e pacientes esclareçam suas dúvidas.

Para finalizar a discussão sobre ensino, pesquisa e extensão, o professor Dr. Dirceu Costa, coordenador da área 21 da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), tratou dos desafios relacionados à profissão e das perspectivas para área. A área 21 da Capes abrange a Fisioterapia, a Educação Física, a Fonoaudiologia e a Terapia Ocupacional. “Temos o desafio de inserir a Fisioterapia no meio científico no mundo todo, e a área 21 espera continuar crescendo e oportunizando mais vagas para o ingresso de futuros mestrandos e doutorandos. Também esperamos que possa crescer o estímulo a criação de novos cursos de doutorado”, afirma. Além das palestras, houve o Lançamento do livro “Fisioterapia na DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica): um sopro para a vida” de autoria do Professor Doutor em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul Antônio Fernando Brunetto, que faleceu recentemente. Brunetto fazia parte do Departamento de Fisioterapia da UEL e trabalhou na Instituição durante 28 anos.